A relação da Odontologia com a qualidade do sono

A influência da saúde bucal nas práticas esportivas
24 de abril de 2019

A relação da Odontologia com a qualidade do sono

Embora as duas coisas, inicialmente, pareçam não ter nada em comum, na verdade, sono e odontologia estão intimamente ligados quando o assunto é apneia do sono. No mês em que se comemora o Dia Mundial do Sono (17 de março), falar sobre a Odontologia do Sono – uma especialidade em que o cirurgião-dentista possui uma formação global sobre a Medicina do Sono, habilitando-o para auxiliar no diagnóstico dos distúrbios do sono e para o tratamento do ronco e da apneia com dispositivos intraorais – serve como alerta para as pessoas que ainda não resolveram investigar o problema que apresentam ou apenas negam a sua existência.

A falta de sono de qualidade interfere diretamente da qualidade de vida de qualquer pessoa. Fisicamente, ela pode provocar dor muscular, fadiga, diminuição do bem-estar físico, alterações cardiovasculares, hormonais e acidentes. Mentalmente, a privação do sono ou sua falta de padrão afeta a concentração, pode gerar ansiedade, ocasiona a diminuição da capacidade mental, além de influenciar no aprendizado e memória.

Para que haja o diagnóstico positivo para a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono – SAOS, é preciso usa série de dados como endoscopia nasofaríngea rígida e flexível com realização de Manobra de Müller em posição sentada e supina, realizada pelo médico otorrinolaringologista, completando-se com o exame físico, de estudos de sonolência, confirmando-se definitivamente, após a realização da polissonografia. O diagnóstico conclusivo depende de exames e questionários específicos.

Síndrome provoca vários problemas

Ocorrência de ronco pesado, períodos de parada respiratória relatados pelo(a) companheiro(a), sonolência diurna excessiva, sono fragmentado por despertares frequentes, sono não reparador, dor de cabeça matinal, mudanças de personalidade são alguns dos sintomas que se percebe inicialmente em relação ao distúrbio do sono. Nos casos mais sérios, outros sintomas podem ser verificados: ansiedade severa ou depressão, desempenho pobre no trabalho, perda de agilidade, memória nebulosa, deterioração intelectual, bruxismo, secura bucal ao acordar e até irregularidades cardíacas e pressão sanguínea alta, causando complicações, como alteração da estrutura do sono, sobrecarga cardíaca, alteração da função do Sistema Nervoso Autônomo – SNA, aumento da atividade simpática e alterações inflamatórias.

Por isso, é tão importante procurar um profissional que possa investigar corretamente a apneia do sono, assim como outros sintomas que podem influenciar negativamente na qualidade do sono e que estejam ligados à odontologia.